IASF – Esquadrão 117

Esquadrão 117 – Ha’Silon Ha’Rishona – O Primeiro Jato

Função: Caça/Reconhecimento/Interceptação

Formado em junho de 1953, na Base Aérea de Ramat David, o esquadrão recebeu seus dois primeiros Meteor T.7 duas semanas depois de iniciar suas atividades e se tornou assim o primeiro esquadrão da IDF/AF a operar aeronaves a jato. Em agosto os primeiros dois exemplares do Meteor F.8 foram entregues. Seu complemento inicial de pilotos era formado por um grupo de experientes pilotos de Mustang do Esquadrão 101.

No período entre 1954 e 1955 normalmente um ou dois pares de Meteor eram destacados para a Base de Hatzor com a função de executar missões de QRA (Quick Reaction Alert – Alerta de Reação Rápida). No início de 1955 mais sete Meteor FR.9 que pertenciam a RAF (Royal Air Force – Real Força Aérea) foram entregues. Destes apenas dois executaram missões de reconhecimento fotográfico, os outros foram modificados para o padrão F.8 e utilizados em missões de superioridade aérea. Em 01 de setembro de 1955 um par de Meteor do destacamento baseado em Hatzor foi responsável pelo abate de dois Vampire egípcios que metralhavam um kibutz no Negev.

Gloster Meteor F.8

A partir do verão de 1956 o Esquadrão 117 foi transformado em uma unidade de treinamento avançado para a Escola de Vôo, com o ataque ao solo passando a ser sua função secundária. Em outubro a unidade foi movida para a Base Aérea de Tel Nof de onde iria operar até o fim da Campanha do Suez. No primeiro dia da campanha, os Meteor F.8/FR.9 foram utilizados como escolta para os C-47 que transportavam pára-quedistas para a península do Sinai. Nos dias que sucederam os Meteor foram utilizados principalmente para ataques ao solo contra os veículos blindados do Egito.

Em meados de 1956 havia planos para re-equipar o esquadrão com 24 aeronaves Canadair Sabre, produzidas sob licença pelo Canadá, mas foram canceladas. Em 1957 4 Meteor T.8 belgas foram adquiridos. O esquadrão foi oficialmente desativado em 1962, seus Meteor T.8 foram transferidos para o esquadrão 110 e os F.8/FR.9 para outra unidade. Dois meses após a sua desativação o esquadrão foi recriado para operar os Mirage IIICJ, se tornando assim o primeiro esquadrão da IDF/AF a operar o jato.

Mirage IIICJ

O esquadrão 117 liderou a primeira onda de ataque contra as bases egípcias de Beni-Suef e Faid no primeiro dia da Guerra dos Seis Dias e atacou posições sírias e jordanianas ainda no mesmo dia.  A partir do segundo dia os Mirage voltaram a sua função de superioridade aérea e terminaram a guerra com um total de 12 aviões abatidos contra a perda de apenas três Mirage, sendo dois perdidos para a AAA.

A Guerra de Atrito que se seguiu resultou em combates aéreos cada vez mais difíceis contra os egípcios, sírios e pilotos soviéticos e a partir de 1971 aeronaves IAI Nesher começaram a complementar os Mirage III sobreviventes. Durante a Guerra do Yom Kippur em 1973 o esquadrão executou missões de interceptação e escolta na frente síria e o esquadrão foi creditado com 55 vitórias contra apenas uma perda.

Após a Guerra do Yom Kippur todos os Mirage passaram por um processo de atualização que inclui a substituição do motor por uma versão mais nova e melhoria dos aviônicos. Com a entrada em serviço do Kfir C1 e dos F-15A Eagle em 1975, os Mirage e Nesher passaram a ser relegados a missões secundárias na defesa de Israel.

F-16

Em 1980 o esquadrão foi re-equipado com os F-16A e novamente teve a distinção de ser o primeiro a operar um novo modelo de aeronave na IDF/AF. Pouco antes dos F-16 completarem um ano de operação os pilotos do esquadrão tomaram parte na missão de ataque ao reator nuclear iraquiano. Apesar do resultado na prática apenas atrasar os planos iraquianos ele foi de grande importância quando 10 anos depois uma Coalizão das Nações Unidas enfrentaram o Iraque para expulsá-lo do Kuwait.

A dupla função dos F-16 foi bem explorada pela IDF/AF que abateu suas primeiras aeronaves em abril de 1981, dois helicópteros Mi-8 e um MiG-21. Todas as aeronaves pertenciam à Síria e foram abatidas sobre o Líbano.

F-16C

Em 04 de junho de 1982 os F-16 fizeram parte de um grande ataque contra um depósito de munição da OLP em Beirute. Durante a invasão do Líbano entre junho e agosto de 1982, os F-16 e os F-15 voaram missões de escolta e engajaram-se em extensos combates aéreos contra os MiG-21 e MiG-23 sírios. Posteriormente a IDF/AF relatou haver abatido 80 caças sírios contra a perda de 13 das suas aeronaves, incluindo um F-16. Em 1987 os F-16A/B do esquadrão foram substituídos pelas versões C/D, mais avançados e com melhor capacidade.

Fontes:

Aeroflight – Israel Air Force

Scramble

GlobalSecurity.org – 117 Squadron – The First Jet

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s